Notícias

Foto DW Deutsche Welle

Vitória de Bolsonaro e expectativa de abrandamento da legislação aquecem mercado brasileiro de armas de fogo, o que desperta interesse de fabricantes estrangeiras e eleva procura por aulas de tiro.

Sérgio Biscuola não sabe exatamente o que fazer com as mais de 300 fichas de inscrição que tem empilhadas em seu escritório no Clube Piratininga de Tiro, na Zona Sul de São Paulo.

Cleto de Almeida Gonçalves Junior: “Mercado reaquecido” (Foto: Franklin de Freitas)

Na esteira do recrudescimento da criminalidade e da ascensão da campanha do presidenciável Jair Bolsonaro (que tem como uma de suas principais propostas facilitar o acesso à posse de arma de fogo ao cidadão), a procura por armas de fogo e cursos de tiro têm crescido exponencialmente em Curitiba nos últimos tempos. Segundo relataram empresários do setor, a demanda por armamento cresceu até 70% na cidade.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

Os últimos dois anos do esporte jaraguaense vem sendo marcado pela reativação de equipes adultas. Basquete, vôlei e handebol, por exemplo, ressurgiram para servir de inspiração aos atletas que despontam nos fortes trabalhos de base desenvolvidos no município. Porém, também há espaço para novas modalidades, presentes no cenário estadual. Assim como aconteceu com o beisebol no final de 2017, chegou a vez do tiro ao prato levar o nome de Jaraguá do Sul para competições em Santa Catarina e pelo Brasil.

"Recentemente tive uma conversa com um policial civil a respeito de como o Estatuto do Desarmamento tem prejudicado a tradição dos Clubes de Caça e Tiro na região do Vale do Itajaí, em Santa Catarina. Nessa conversa, falamos um pouco sobre a história desses clubes, criados com a chegada dos imigrantes alemães na colônia blumenauense. No entanto, é importante ressaltar que a história desses clubes remonta à Idade Média, quando as companhias de atiradores eram também responsáveis pela defesa dos feudos etc. Posteriormente, com a criação dos exércitos oficiais, esses grupos não morreram, mas passaram a realizar atividades recreativas, como competições de tiro, dentre outras.

De 31 de agosto a 15 de setembro acontece em Changwon na Coréia o 52º Campeonato Mundial de Tiro Esportivo da Federação internacional, ISSF.

Esta competição é a primeira do ciclo olímpico que vale vaga para os Jogos de Tóquio em 2020. É a oportunidade dos atletas garantirem sua participação na próxima Olimpíada e poderem fazer o ciclo de treinamentos sem a pressão da necessidade de conquistar a vaga. Após o Mundial serão distribuídas vagas na CAT (Campeonato das Américas), nas Copas do Mundo do calendário ISSF e nos Jogos Panamericanos em Lima no Perú.

Projeto é decorrente da segunda CPI das Armas realizada na Casa, que concluiu a existência de um controle 'precário' do armamento

A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou, em segunda discussão na quarta-feira (8/8/2018), a criação da Política Estadual de Controle de Armas. O projeto, que vai à sanção do governador Luiz Fernando Pezão (MDB), prevê a instalação obrigatória de chips eletrônicos em pistolas, fuzis e todo tipo de armamento.

Modelo da arma Libertador (Foto: WIKIMEDIA COMMONS)

Vários governos estaduais e organizações defensoras de um maior controle das armas de fogo nos Estados Unidos tentaram nesta terça-feira (31/07/2018) bloquear a comercialização de planos digitais que permitem fabricar com toda discrição armas utilizando impressoras 3D.

Depois de uma longa batalha judicial no final de junho, o governo federal autorizou o grupo Defense Distributed a disponibilizar os planos digitais que permitem a fabricação doméstica de armas usando uma impressora tridimensional.

Decreto de 2004 determina a realização de avaliação psicológica a cada cinco anos para que oficiais na reserva possam andar armados. Entidade diz que exigência é inconstitucional

A Confederação de Tiro e Caça do Brasil quer derrubar no Supremo Tribunal Federal (STF) norma que obriga militares da reserva remunerada a passarem por avaliação psicológica a cada cinco anos para continuarem a ter o direito de portar arma de fogo. A exigência, de acordo com a entidade, fere o princípio da isonomia, segundo o qual todos são iguais perante a lei.

A 2ª Região Militar, por meio do seu Serviço de Fiscalização de Produto Controlados, realizou entre os dias 16 a 20 de julho a Operação Impacto II, no estado de São Paulo, sob orientação e coordenação da Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados.

Pronto para ser votado em caráter terminativo na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, projeto de Cidinho Santos (PR-MT) busca a dispensa da declaração de efetiva necessidade para porte e posse de armas / Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo

Se depender do senador Cidinho Santos (PR-MT), atualmente licenciado do mandato, as regras para portar armas no país serão afrouxadas. É que o parlamentar é autor do Projeto de Lei do Senado (PLS) 480/2017, que tem como objetivo retirar do Estatuto do Desarmamento (Lei 10.826/2003) a exigência da declaração de efetiva necessidade para o posse e porte de armas.

Cursos Propoint

OLGun

CRAD BRASIL 2019

PROMOÇÃO EXCLUSIVA

Anuncie Aqui