0
0
0
s2smodern

Sabe aquelas armas que a gente se acostumou a ver em filmes e desenhos animados — as pistolas e espingardas a laser? Pois é, parece que estão se tornando realidade. De acordo com o South China Morning Post, a firma chinesa ZKZM Laser criou um protótipo capaz de queimar, atravessar roupas e machucar alguém a mais de 800 metros de distância — e a ideia seria usar os rifles para armar toda a polícia no país.

A imagem, aliás, não é a do objeto, mas sim uma ilustração conceitual sobre o dispositivo, que teria como maiores vantagens o fato de ser leve, silencioso e invisível, com capacidade, inclusive, de atravessar o vidro. Ele seria utilizado especialmente em missões militares e situações em que há reféns.

Um pesquisador do rifle ZKZM-500 afirmou que seria também uma boa solução não letal para gerenciamento de crises ou casos de violência. A peça pesa 3 quilos — quase o mesmo de uma AK-47 — e usa bateria de lítio capaz de alimentar mais de mil disparos de 2 segundos cada, que devem custar cerca de US$ 15 mil por unidade. A companhia agora procura parceiros para produzir em escala comercial.

Mas será que é verdade?

Enquanto a ZKZM Laser jura de pés juntos que seu ZKZM-500 funciona, muita gente tem dúvidas, pois a atenuação causada pela distância da viagem entre o disparo e um alvo a 800 metros iria enfraquecer substancialmente a força do laser — até um ponto em que ele não seria capaz de perfurar a roupa de alguém, muito menos queimar a pele.

Além disso, é muito improvável que essa arma consiga guardar uma bateria de íon-lítio com tanta energia em um recipiente tão pequeno. Ou seja, é difícil acreditar que um repositório tão diminuto possa ter munição para tantos disparos de laser incendiários. O futuro chegou? Militares chineses já utilizam armas de laser.

Bem, a ideia pode ter saído dos filmes e desenhos animados, mas, até que haja provas mais concretas, por enquanto a ZKZM-500 continua na ficção científica.

Fonte: https://bit.ly/2KJJinR


Cursos Propoint

TEES BRAZIL

Promoção Botas Vento

Anuncie Aqui